sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Super Eterno

Descobri com o amor, o super eterno,
Onde nada é mais bonito
Encontrei de frente ao mais belo
Onde o mais simples é o infinito

Houve uma dor imensa,
Em que o caos e a confusão foi dominante
Porem antes e depois, na paz imersa
Em que foi fruto de um coração pulsante

Inspiração e riqueza
Em um rio me acho, flutuante
Na mais profunda beleza
E de felicidade abundante

Concentrado, vivido,
Quase que morto por dentro
Dentro de um coração sofrido
Foi e se foi, e não me lamento.

Super Eterno é amor transparente
Não sofre, não se abate
Usa o coração e a mente

Nenhum comentário:

Postar um comentário